sábado, 10 de abril de 2010

Se nesta Rua Apenas Existisse o Azul-escuro ou Preto dos Impressos, Estavamos Mal.


Se calhar exigem, se calhar exigem que deixe de fazer escorregar as pernas quando o chão está gurduroso, ou deixe de estupidamente dançar quando mais ninguém vê, ou de fazer aqueles aldrabados passos de ballet que sempre quis aprender. Se calhar exigem que deixe de fingir que toco piano com os dedos quando estou a trautear uma cançao, ou que a deixe de cantar por mais desafinada que esteja. Se calhar exigem que deixar de fazer vozes irritantes e de me rir com os lábios todos rasgados. Ao menos que não precise de deixar de pular, sem ser a pés juntos. Saltitar é isso mesmo, em vez de andar. Será que tenho de deixar de rir? E de fazer textos como criança? Talvez não possa continuar a tapar a boca e a cabeça com o lenço, sonhando estar nas Arábias ou atá-lo atrás das costas criando uma nova peça de roupa, ou ainda prendê-lo à cadeira, vendo-me como dama indefesa atacada por bandidos.
Tudo bem, que o façam. Que me acusem de o ser, ou de não ser. É me inconcebível fazer cara sizuda para os que me olham só para parecer mais velha. Ou para parecer que tenho a idade que tenho. Sou incapaz de sorrir apenas com o alargamento dos lábios cerrados só para parecer mais velha. Ou para parecer que tenho a idade que tenho. Não me é sequer permitido deixar de fazer corridas ou concursos de insultos (com a mana) só para parecer mais velha. Ou para parecer que tenho a idade que tenho
. Não guardo, não espero. Há momentos em que tenho de me portar bem, outros nem tanto. Enquanto isso e ainda que tenha sempre a mesma idade, não quero deixar de fazer o que me apetece. Mas claro que não ando a fazer estas coisas na escola, não é. A questão é porquê? Será que sou assim tão anormal ou ninguém tem esta necessidade de avariar? Gentinha pobre de espírito que se contrai e endireita, se ergue e se fixa, se endurece e se esfria deixando apenas parecer. Parecer o que é.

Ah! E sei de quem goste de mim assim, tá?

3 comentários:

Missy_FLORescente disse...

eu exijo que deixes de colorir os teus textos a cores fluorescentes! Eu acredito, e sei muito bem que sim, que as cores são lindas...mas até custa a ver coisas normais quando acabo de ler esses teus textos xD

Joaninha disse...

Eu pertenço ao grupo que te ADORA com o sorriso nos lábios. Porque te faz a ti, simplesmente e genuinamente.

A minha Joana. A minha flor :D

LuaManhosa disse...

Adoro-te como és. Porque partilhas comigo os mesmos sorrisos rasgados e as infatilidades de um mundo cor-de-rosa.
Adoro-te. És alguém que gosta de ser como um pássaro, livre fazendo o que quer por onde quer.
Adoro-te. Fazes-me sentir que afinal há alguém que não reprova e que ama as maluquiçes tal como eu. E não ligues a isso da idade porque por vezes precisamos de ser infantis, pois as cianças são inocentes e verdadeiras.
Adoro-te tal como és, nunca mudes =D