sábado, 28 de junho de 2008

Vermelho: o lado perigoso do Sol


Chegou o Verão e, para acompanhá-lo, vieram as idas à praia, à piscina, o uso de roupas que nos cobrem um bocadinho menos...
Toda a gente apanha escaldões, é uma coisa mais ou menos vulgar. Mas não devia ser, porque estão a aumentar os casos de cancro de pele e isso é, muitas vezes, uma consequência da irresponsabilidade das pessoas que não se protegem do Sol. Por exemplo, quando vamos à praia, não custa nada colocar protector solar. "Ah e tal não fico bronzeado!"-DESCULPAS!

O PROTECTOR SOLAR É INDISPENSÁVEL!

As pessoas ficam bronzeadas à mesma se espalharem o creme, e é óbvio que não precisam de colocar camadas e camadas, mas deve ter-se em conta o tom de pele das pessoas. Uma pele clara (como a minha) precisa de um factor mais elevado do que uma pele morena.
E eu quero lá saber se não fico logo bronzeada!
Primeiro porque se não pusesse protector não ficava morena, ficava vermelha e, depois porque acho mais importante a parte da saúde, de não correr tantos riscos de padecer de cancro da pele e de não andar com dores devido aos escaldões, do que a parte estética.

O que eu acho mais dramático é a irresponsabilidade das pessoas perante a exposição ao Sol envolver, muitas vezes, crianças.
Quantas vezes eu vejo famílias a dirigirem-se para a praia com crianças pequenas, na altura em que eu venho para casa: onze e meia, meio-dia! E quantas vezes especialistas já avisaram que as crianças apenas devem permanecer na praia até ao meio-dia, no máximo?!
Quantas vezes as crianças não estão protegidas por um chapeu de Sol, ou muito pior, nem sequer têm protector! E quantas vezes já avisaram que as crianças devem estar protegidas e que as mais pequenas nem devem ir à praia?!

Informem-se dos perigos do Sol e não achem que o meu texto, embora possa não estar muito bem redigido, é uma parvoíce! Sejam responsáveis pelas vossas vidas e pelas das crianças (e pelas dos idosos que também têm de ter alguns cuidados especiais). Tomem consciência que não nos proteger-mos do Sol pode ter consequências muito graves!

quinta-feira, 26 de junho de 2008

O negro das incorrecções Linguísticas

video

Este vídeo serve para introduzir um tema, sobre o qual posso falar relativamente bem. Como já havia dito, encontro-me numa zona antiga e, por isso, o isolamento que durante muitos anos esta cidade que outrora fora aldeia teve, contribuiu para o facto de uma grande maioria não saber falar correctamente.


Vocês podem pensar: "Mas isso é normal, há em todo o lad0, os HÁ-DES, os PRONTOS, os FIZI-O, PUZI-O..."


Mas a verdade é que eles falam mesmo mal, um falar mal que não só dá valentes pontapés na gramática, como também, omite e troca letras.


Quando era mais nova, cheguei a fazer um dicionário com as palavras típicas que estes criadores de neologismos natos pronunciavam. Agora, vou citar alguns dos vocábulos possuidores de tão próprias características:


*Tijóis (tijolos)


*Ambulança (ambulância)


*Poliça (plícia)


*Estômado (estômago)


*Paroda (paródia)


*Tografia (fotografia)


*Auga (água)

Assim, com este meu desabafo, espero que não sintam vontade de falar mal, não se deixem de preocupar com esse facto e/ou, que se orgulhem de não o fazer. Pelo menos, porque ficam com mais certeza que ninguém vos gozará por isso!

Mas agora a sério, não deixem que esta nova geração fale mal, porque se nem a nossa língua soubermos falar, como nos iremos internacionalizar falando outras línguas?

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Um pouco de azul

Hoje vivenciei uma nova experiência: fui ao Yoga!

Pelo que eu sabia, o yoga era um conjunto de exercícios para relaxar, criar flexibilidade, descontrair...
É isso!
Mas é preciso concentração, e essa é a parte mais difícil para mim. É preciso concentrarmo-nos e deixar os nossos problemas de parte, se queremos relaxar.
Também é preciso esforçarmo-nos na parte física, mas sempre tentando obter uma posição confortável. Não é objectivo que doa!
É bom.
Quando me esforço tremo muito porque não estou habituada. Mas a sensação de relaxar é o máximo. E durante aqueles minutos só posso estar concentrada no que estou a fazer. É isso que é bom. Desprendo-me da rotina, do comum, do que faço todos os dias.
Outra coisa importante é que praticamos algum exercício físico, e isso é óptimo para quem tem uma vida sedentária, como eu.

Mexer o nosso corpa faz bem!
Mexam-se e des-stressem-se!

terça-feira, 17 de junho de 2008

O Rosa da cusquisse

Dei este título a este post, não porque esteja directamente relacionado, mas porque é o que mais se aproxima.
Hoje, deparei-me com uma situação não muito comum no local onde estou. É uma zona antiga e, por isso, a maioria dos seus habitantes já tem alguma idade.
Isso justifica de algum modo, o que eu quero hoje comentar.
Vamos por partes:
Houve um incendiozito numa casa abandonada.
As pessoas assustaram-se.
O problema é que algumas exageraram!
É sobre isso que quero falar. Um senhora, já estáva a dizer que a casa que lá tinha ao pé não existia, e que aquilo ia arder tudo e blá, blá, blá.
Mais um bocado e dizia que havia feridos.
Se eu entrevistasse todas as pessoas que sabiam da história, cada uma ia contá-la de uma maneira difernte, e exagerar para o seu lado!

A mensagem que eu quero passar é a seguinte:
podemos comentar, podemos falar, sim porque eu admito que gosto muito de falar sobre tudo o que acontece, mas adulterar o que aconteceu é mau, primeiro porque quem nos ouve já não aguenta ouvir-nos porque só dizemos disparates e, segundo porque podemos assustar pessoas mais ingénuas ou desconhecedoras da real história.

Uma paleta de cores variada

Criei este blog para falar.
Sim, eu falo muito.
E há coisas que quero falar, mas para as quais não tenho ouvintes.
Gosto de ter uma opinião sobre tudo.
Assim, neste blog vou escrever sobre tudo e mais alguma coisa, sobre o que me apetecer.
Coisas mais importantes, coisas mais comuns...
Vou expressar-me sobre as mais variadas coisas.
Espero que gostem.

P.S. Eu ia dizer mais qualquer coisa, mas agora esqueci-me!